domingo, 14 de junho de 2009


Nunca amamos alguém.
Amamos, tão-somente, a idéia que fazemos de alguém.
É um conceito nosso - em suma, é nós mesmos- que amamos.
Isto é verdade em toda a escala do amor.
No amor sexual buscamos um prazer nosso dado por intermédio de um corpo estranho.
No amor diferente do sexual, buscamos um prazer nosso dado por intermédio de uma idéia nossa.(...)
As relações entre uma alma e outra, através de coisas tão incertas e divergentes como as palavras comuns e os gestos que se empreendem, são matéria de estranha complexidade.
No próprio ato em que nos conhecemos, nos desconhecemos.
Dizem os dois 'amo-te' ou pensam-no e sentem-no por troca, e cada uma quer dizer uma idéia diferente, uma vida diferente, até, porventura, uma cor ou um aroma diferente, na soma abstracta de impressões que constitui a atividade da alma. (...) Fernando Pessoa

Hoje não consigo enxergar o "amor" como antes, em sua plenitude, simplesmente belo, indispensável como o ar que respiramos... Desilusão??? Ou simplesmente não era o "amor" em sua plenitude, simplesmente belo, indispensável como o ar que respiramos???

5 Um momento seu...:

Anônimo disse...

Ótima descricao do Fernando Pessoa!
Desilusao? Pode ser que sim, sempre chega um momento da vida no qual paramos para pensar sobre o nosso relacionamento, porque ele nao continua como nos primeiros momentos. Passado a fase de paixao, o que vimos é a realidade, como o parceiro realmente é. E ele, como nós próprios, também é cheio de defeitos. Mas é importante refletir, se realmente vale a pena continuar o caminho conjunto. Como disse, nao sou a favor de separaçao, quando aparece o primeiro problema jogar tudo para o alto também nao é solucao. Mas nao se deve esquecer-se de si mesmo.

Paty disse...

Com certeza, refletir sim, o difícil, é não esquecer de nós mesmas...

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Paty,

Adorei saber que nos linkou e que nos segue.

Irei fazemos o mesmo.

Beijo grande.

Rebeca

-

O meu olhar disse...

Adorei o blog! Fantástico! Parabéns! beijinhos

Priscila Rôde disse...

O amor é tão complicado!
Adorei o post, obrigada pela visita em meu blog!