sábado, 29 de agosto de 2009

...De volta a uma estrada florida...

Vem aqui e me diz,
minha amiga querida,
o que te faz feliz?
Agora você vive a vida
tendo o que sempre quis?
Te vejo caminhar perdida,
e me pergunto se foi algo que fiz...
Devia eu te indicar uma saída,
minha linda pequena aprendiz?
Será que essa recente ferida
será capaz de deixar cicatriz?
Apenas sei que havia uma estrada florida
e as flores pelas quais passamos pedem bis...
Cada uma agora com alegria nos convida
a esquecer dos problemas e caminhar feliz.
Então te digo “amizade é pra toda a vida”
e você, minha amiga, o que me diz?
.
Jéssica Beck

Amizade, digo sentimento...



Com o passar dos anos, posso dizer que aprendi o que é "Amizade".Pelo menos isso, posso afirmar, não tenho dúvidas.


Minha mãe, sábia pela vida, dizia que "amigos", a gente conta nos dedos das mãos, não mais que isso.


É pura verdade.

Não me recordo o ano, mas, aproximadamente em 1990, conheci mais uma colega de trabalho. No início, ela me achou até "metida", acho que eu era mesmo (rsrs).
Não sei ao certo, quando o nosso convívio, começou a se tornar umabela e grande amizade.


O importante é que hoje, ela faz parte de minha vida. Mais, do que isso, acho que estamos ligadas, pelo espírito, por outras vidas.
Quando estou triste, desanimada, depressiva, ela vem com palavras simples, mas "sagradas". São palavras capazes de me fazer sorrir, de me sentir viva de novo, de querer lutar mais uma vez. Acho que nem por ela mesma, faz isso por si. Mas é capaz de fazer por mim. E nos bons momentos, quero logo compartilhar com ela.

Mesmo estando longe, ela é capaz de ouvir, de não me recriminar, e de apenas dizer o que é melhor pra mim.


Tenho saudades da época em que trabalhávamos juntas. Tínhamos momentos "simples", mas de grande companheirismo. Como por exemplo, íamos sempre ao Viena, saborear aquela torta maravilhosa de chocolate, ou naquele barzinho tomar aquela batida de vinho com pêssego, e como sonhávamos.
Éramos capazes de sonhar juntas acordadas!!!! (desde quando alguém faz isso hoje em dia???) A nossa preocupação, era que tínhamos que arrumar namorados, maridos, que fossem tão amigos, como nós. Para que não nos separássemos nunca. E não é que aconteceu????


Claro que nossas vidas tomaram rumos diferentes. Tivemos alegrias, sofrimentos, longe uma da outra. Mas ao mesmo tempo, ligadas pelo o que chamamos de "amizade". Não pudemos compartilhar de todos os acontecimentos, e mesmo distante, estávamos no fundo, torcendo sempre pelo "melhor" da outra.


Agradeço à Deus, pelo nosso reencontro nessa vida. Por termos tido a oportunidade, de ter esse sentimento chamado "amizade". Digo sentimento, pois move a nossa vida.


Rô, é de você mesmo, que estou me referindo. Não estou puxando o saco não (rsrs), é que apenas acho importante dizer o quanto, você faz parte de minha vida. Essa amizade, que digo que é um sentimento, é valioso demais, para ficar em silêncio.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Eu queria entender...


Eu queria entender as pessoas, que dizem ter encontrado o "amor de suas vidas".
Muitas dessas pessoas, acomodam-se com o passar do "tempo", e esquecem de como "cuidar" ou cultivar o seu grande amor.
Não sei o motivo, dessas pessoas, deixarem de lado, esse sentimento tão profundo, tão essencial à vida. Por causa da correria do dia a dia? Problemas? Falta de dinheiro?
No início, tudo é lindo, maravilhoso, mágico, como nos sonhos.
Depois, ... o que acontece???
O sentimento que chamamos de amor, se tornou o que? Dependência? Medo de ficar sozinho?
Ou não era "amor"?? Ou até mesmo esse sentimento precioso, tem começo e tem fim?
Achei que o amor era pra sempre.
Se é amor, porque maltrata? porque machuca?

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Agradeço...


Quero agradecer as palavras de carinho, que recebi no post anterior.
Fico feliz em saber, em poder compartilhar "meus momentos".
Fico feliz em saber que tem pessoas, que dedicam seus minutos preciosos, em ler "outros momentos".
São comentários de pessoas, que não conheço pessoalmente, mas que admiro pelo o que escrevem, e que passamos a conhecê-las um pouco a cada dia, pelas suas palavras.
Cada pessoa, uma história, um conto, um encantamento, uma vida, uma amizade.

Um agradecimento especial, à você Rô!!!
Obrigada pelas palavras de carinho e de incentivo! A nossa amizade é eterna, especial.

Essa é a nossa maior riqueza!!! A amizade!!!
Tenham uma semana iluminada!!!

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Sonhar sempre ...

video

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Uma confissão...

Há muito tempo eu tive que escolher entre dois caminhos. Escolhi o caminho do coração, abandonando completamente a vida que eu tinha. Estava cega. Não consegui enxergar um palmo a minha frente. Mudei do vinho pra água "literalmente", sem tirar e nem por. Acreditei na pessoa que eu dizia ser o meu "Príncipe" ou o "Grande amor de minha vida". Tive muitas alegrias e muitas mas muitas decepções. Essas decepções ainda me perseguem. Talvez seja culpada de tudo isso. Talvez pela minha imaturidade na época, talvez em acreditar demais. Ou simplesmente acreditar em uma ilusão criada pela minha própria cabeça. Esse é um grande erro que muitas pessoas cometem. Criam uma ilusão e passam acreditar nela fielmente. E quando essa ilusão torna-se uma desilusão, já é tarde. O coração fica profundamente ferido, com cicatrizes profundas, que não se apagam jamais. Com essas cicatrizes, me tornei incapaz de lutar por mim. Me tornei prisioneira de uma vida, que no fundo "eu não quero". Acabei empurrando a vida com a barriga, sem esbravejar, sem reação. Fraqueza minha???Talvez covarde? Pode ser... Por outro lado, estou inteira ou quase. Tenho esperanças, acreditando em um futuro melhor. Não sei se é pouco, ou tarde. Prefiro acreditar que nunca é tarde. Afinal, dizem que a "vida começa aos 40"??!!!!

domingo, 16 de agosto de 2009

Procuro por mim mesma.


Como estou me sentindo hoje???
Não sei exatamente.
Talvez triste, talvez insatisfeita...
Não sei.
Olho no espelho e não consigo me reconhecer. Não consigo enxergar aquela "menina" cheia de sonhos, que acreditava no "amor" puro e simplesmente belo.
Cadê aquela "menina-mulher" cheia de esperanças, acreditando que tudo "dá" certo? que há uma cura ou solução para todos os males...
Cadê???
Pareço estar perdida dentro de mim mesma, mergulhada em um desânimo sem tamanho.
Antes eu conseguia chorar.
Hoje não consigo mais. Parece que até as lágrimas secaram.
Quando olho pra mim mesma, consigo enxergar apenas a escuridão, o vazio...
Não quero me sentir assim...

"Just like heaven"


Visitando o blog da Lany, ouvi pela primeira vez a música "Just like heaven - Katie Melua".
Me encantei pelo seu embalo, me encantei pelo filme e principalmente pela cena em que a protagonista, está sentada em meio ao jardim florido e extremamente lindo.
Tem um trechinho que diz:

"...Tu, suave e única
Tu, perdida e solitária
Tu, estranha como anjos
A dançar em profundos oceanos
A girar na água
És simplesmente como um sonho
És como um sonho..."

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

...que eu tenha coragem de me enfrentar...

"...Que minha solidão me sirva de companhia.
Que eu tenha a coragem de me enfrentar.
Que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo."
(Clarice Lispector)

domingo, 9 de agosto de 2009

Uma carta ao meu Pai...


Pai, você partiu no mesmo dia e mês que minha mãe, só que quatro anos mais tarde.
Minha Tia querida diz, que ela veio te buscar, numa hora de sofrimento.
Lembro, quando criança, você me levava ao parque Ibirapuera para brincar ...
Adora, quando eu me sentava ao balanço, e me empurrava para que eu "voasse" bem alto. E no final da tarde, comíamos aquele cachorro quente, que na época, eu julgava ser o mais gostoso de todos.
Depois, cresci, e nossas vidas tomaram rumos tão diferentes.
Nos afastamos, nem parecíamos pai e filha.
Eu sinto muito, do fundo do meu coração, pela minha ausência...
Nós dois poderíamos ter feito "diferente". Poderíamos sim ser mais que amigos, além de ser pai e filha.
Hoje, com um pouco mais de idade, sei o quanto erramos.
Me perdoa, por não ter estado presente nos momentos de seu sofrimento, de seu isolamento.
Acredito, que um dia, ainda nos encontraremos e teremos muito o que conversar...
Aonde quer que esteja, "te amo meu Pai", sinto sua falta.
"O cachorro quente, era sim o mais gostoso, pois estávamos juntos, como Pai e Filha."

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Sem palavras...

Não escrevi nesses últimos dias. Não sei exatamente o motivo. Ao menos, poderia ter postado algum poema... Li alguns, e estranhamente não me encantei por nenhum deles. Não consegui escrever nenhuma palavra de sentimento... de momento... Ao mesmo tempo que parecia estar vazia, eu não estava. Meus sentimentos, minhas dúvidas, estavam fervilhando dentro de mim... exatamente como o mar nesses últimos dias. Aparentemente tranqüilo, mas as ondas alcançavam o limite imposto pelo “homem”, a rede do pescador parecia um emaranhado de qualquer coisa, menos rede ! Como, que por dentro do mar, estivesse fervilhando um monte de emoções, querendo explusar qualquer um que não pertencesse ao seu mundo. Evitei ao máximo, não ficar me torturando. Não consegui transpor uma só palavra, dessa pequena confusão que se encontrava dentro de mim. Eu sei, “não sou escritora”, nem poeta, rsrsrs... quem me dera... Mas, me senti meio que vazia, não postando nem sequer uma palavra . É um cantinho especial pra mim, como se esse momento fosse só meu. Eu sei, eu sei... com tantas coisas acontecendo no mundo por aí fora... Mas, para eu enfrentar esse mundo aí fora, necessito limpar minha alma primeiro. E para isso, escrevo aqui. Nem que seja, um poema copiado.

domingo, 2 de agosto de 2009

UMA REAL FANTASIA NUMA FALSA REALIDADE

Encalhadas numa realidade meramente mesquinha, Mantêm-se as fantasias de outrora, nem luz de sonho A acompanhar a alma, que caminha em mim, mas sozinha...
---
A tempestade dos sentidos que inoportunamente se avisinha, Chega prá lá da delineada e imponente hora marcada, Real fantasia na falsa realidade, tornou-se ventura minha...
---
Encalhado em tudo que é falso, pesa-me a realidade, Como barco que nunca atracou no devido porto, Como grito dado, mas nunca ouvido, na dor real da saudade ...
---
Paulo Alves